7 Lições de empreendedorismo que podemos aprender com uma partida de futebol

7 Lições de empreendedorismo que podemos aprender com uma partida de futebol

Hoje vou falar de duas paixões nacionais ao mesmo tempo. Futebol e empreendedorismo.

Mas o que estas duas atividades tão distintas possuem em comum? Neste artigo você vai aprender sete lições que todo empreendedor precisa saber, tendo como exemplo, uma partida de futebol.

Vamos dar o ponta pé inicial? Que a bola role!

1) Futebol é planejamento

Uma partida de futebol começa muito antes da bola rolar. Na verdade, no futebol profissional, ela têm início antes do campeonato começar, com planejamento estratégico dos dirigentes dos clubes.

Qual jogador contratar? Qual jogador dispensar? Qual os planos para a temporada?

Assim como no futebol a vida de empreendedor deve ter início antes da fundação da empresa, com o plano de negócios e planejamento prévio das operações com uma planta estrutural da empresa.

2) O jogo é jogado

O futebol têm sua magia na capacidade de proporcionar emoções inimagináveis. Quem diria que um time da terceira divisão poderia vencer uma grande equipe nacional?

A expressão “o jogo é dentro de campo” é comum no futebol para dizer que o favoritismo acaba quando a bola rola.

No mundo do empreendedorismo, as vezes, vamos interpretar os dados e relatórios e concluir de forma lógica que algumas soluções não serão competitivas o suficiente.

Mas as vezes, é preciso acreditar, e lembrar que o “jogo é jogado” e só depois que a bola rola e que dá para saber quem perde e quem ganha.

3) O jogo é coletivo

Não adianta um jogador correr e se matar pela equipe se todos os outros não compartilham da mesma vontade. O futebol é coletivo, cada jogador ocupa seu espaço, desempenha uma função e todos dependem de todos.

Em uma empresa não funciona assim também? Cada funcionário têm suas obrigações e tarefas e é preciso com que todos estejam engajados de igual forma para que as coisas fluam com qualidade.

Assim como no futebol, funcionário não comprometido têm de ir para o banco de reservas.

4) Faça o primeiro gol o quanto antes

Em 93% das partidas de futebol, quem faz o primeiro gol não perde, ou seja, ou ganha ou empata.

Quando um time sai atrás no marcador, a recuperação fica difícil, e o time que esta ganhando fica tranquilo para administrar a partida e o resultado.

No empreendedorismo conseguir uma “virada de mesa” depois que um concorrente sai na frente é algo complicado. Só existe um remédio  para “marcar o gol” o quanto antes, inovar e promover a criatividade dentro da organização.

Lembre-se que no mercado,  diferente do ditado popular, os primeiros serão os primeiros, e os últimos, bem, serão os últimos.

5) Faça uma besteira e você será expulso

O futebol tem regras. O jogador não pode agir da maneira que lhe convier ou será imediatamente expulso pelo árbitro da partida.

É preciso ter disciplina e auto-controle, caso contrário, os famosos “cartões vermelhos” serão inevitáveis.

O empreendedorismo também exige estas duas virtudes. Não existe espaço para erros infantis e evitáveis, daí a importância de planejar cada passo antes de se tomar alguma atitude. Para o empreendedor, o “cartão vermelho” têm o nome de falência.

6) Tenha o seu próprio estilo

Cada equipe possui um estilo próprio de jogar. algumas são notórias por insistir em uma marcação forte; outras apostam na velocidade, toque de bola, contra-ataque; enfim, são inúmeras formas de jogar.

Sua empresa possui um estilo próprio? Lembre-se que todos os grandes empreendimentos possuíam filosofias internas que a destacavam das demais.

É preciso ter uma personalidade forte, algo que engaje líderes e colaboradores. A filosofia de uma empresa não pode ser moldadas como os sistemas informáticos ou tecnologias, ao mesmo tempo que são a principal fonte de diferenciação competitiva nas organizações

7) Se não estiver funcionado, arrisque

No futebol, é possível substituir os jogadores três vezes por partida. Por vezes, a forma de como a equipe começou a jogar não é suficiente, então é preciso mudar.

Quando se processa uma substituição, a equipe entra em um tudo ou nada, afinal, o jogador que entrou pode mudar o rumo da partida, manter as coisas como estão, ou piorar tudo de vez.

É preciso arriscar, mesmo que existam chances mínimas de dar certo. Tudo com planejamento claro, mas o fator risco deve ser encarado como um estimulante para o empreendedor.

Trata-se daquele velho provérbio, “quem não arrisca, não petisca”.

Concluindo…

Neste artigo, você aprendeu algumas lições de empreendedorismo tendo uma partida de futebol como exemplo. Em suma, você agora sabe:

  • Que é preciso planejar antes de abrir uma empresa.
  • Que é preciso acreditar, nem sempre dados e estatísticas refletem a realidade.
  • Que todos da equipe precisam estar igualmente engajados para que as coisas fluam de forma produtiva.
  • Que é preciso insistir na inovação.
  • Que sua empresa precisa ter uma personalidade própria como fator de diferencial.
  • Que arriscar é inevitável, se uma estratégia não estiver dando certo, mude.

Leave Your Comment Here